Artigos

Defesa de Monografia no CESAR.EDU

Gerenciamento de riscos em projetos ágeis com Scrum
André Luiz Silva Da Costa
C.E.S.A.R – Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife
andremagrego@hotmail.comResumo. Com a evolução dos softwares e a crescente demanda por produtos de qualidade que fossem entregues rapidamente, as metodologias tracionais de desenvolvimento passaram a apresentar um nível alto de riscos e por esse motivo foram perdendo força e espaço para as metodologias ágeis. Diante delas a que apresenta um grande destaque e com um grande número de adeptos é o Scrum. Entretanto, mesmo com o uso do Scrum os riscos ainda continuam muito presentes e isso levou os gerentes de projetos a darem uma atenção maior aos fatores de riscos. Este artigo apresenta uma melhoria no processo do Scrum de identificação, analise e monitoramento dos riscos, pegando alguns valores do modelo tradicional do PMBOK sem comprometer a agilidade do Scrum.1. Introdução
Diversas metodologias foram criadas para sistematizar o desenvolvimento de software. Essas metodologias podem ser divididas em tradicionais, que enfatizam a documentação de cada passo do desenvolvimento do software, ou ágeis, consideradas um paradigma novo no desenvolvimento de software [Kosciansk A, 2006].
As metodologias ágeis variam em termos de práticas e ênfases e são mais flexíveis as mudanças, já que seguem os princípios do manifesto ágil que não rejeita processos e documentações, mas deixa claro que o mais importante são os indivíduos e as interações.
Mike Cohn [2011] afirma que a transição de uma metodologia tradicional de desenvolvimento para uma metodologia ágil não é fácil. E que essa abordagem precisa ser correta já que os riscos de insucessos são altos. Esses riscos estão presentes em todo o ciclo de vida do projeto, desde seu planejamento até a fase final [Salles Jr, 2011].
O risco é um evento ou uma condição incerta que, se ocorrer, tem um efeito em pelo menos um objetivo do projeto que podem incluir escopo, cronograma, custo e qualidade [PMBOK, 2004]
Segundo o Project Management Body Of Knowledge (PMBOK) [PMBOK, 2004], o gerenciamento de riscos em projetos é o processo de planejamento, identificação, análise, monitoração, desenvolvimento de respostas e controle de riscos com o objetivo de maximizar a probabilidade do impacto dos eventos positivos e minimizar a probabilidade de impactos dos eventos negativos.
Essas definições nos mostram que as incertezas podem ter dois lados, que os riscos tanto podem impactar de forma negativa levando os projetos a um limite alto de falhas e se tornarem inacabáveis, como também podem apresentar um cenário de oportunidades positivas. Dados de 2004 do Standish group Chaos Report, mostraram que 15% dos projetos falharam 51% tiveram alterações e 34% tiveram sucesso. Já em 2009 24% dos projetos falharam 44% tiveram alterações e 32% tiveram sucesso.
Este cenário mostra que o número de falhas só aumentou de 2004 a 2009. A ProjectSmart em 2011 publicou um artigo que aponta 15 causas para as falhas nos projetos, em 2º lugar vem o gerenciamento inadequado dos riscos.
Diante das incertezas que influenciam o fluxo eficaz dos processos nos projetos, como também o aumento significativo do uso de métodos ágeis com a finalidade de entregar valor para o cliente. Esta pesquisa apresenta uma melhoria no processo de identificação, analise e controle dos riscos nos métodos ágeis com foco no SCRUM.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s